1. Mandalas e Galeto Cuiabano, divina parceria!

    terça-feira, 31 de março de 2015

    A nova parceria "divina" da dupla Eliette Botelho e Clarissa Botelho é com o Galeto Cuiabano, bistrô charmoso e apetitoso da Rua João Bento, 817, Quilombo, em Cuiabá. O local,  simples e sofisticado, ficou abençoado duplamente com a chegada das mandalas Divino Fuxico.

    As peças são comercializados no local, além de almoçar comidinha feito no capricho, com um galetinho quentinho, o cliente ainda pode levar um presente especial. O bistrô é do casal Lorenna Bezerra e Fabrício Meireles. Lorenna conta que o marido era apaixonado por galeto, quando ia visitar a mãe no Rio de Janeiro, degustava galeto todos os dias. Foi então que nasceu a ideia do bistrô.

    Fica a dica, além do tempero saboroso, o atendimento e a comida Galeto Cuiabano são no capricho também. O telefone do bistrô é 2136.6439.





    As mandalas deram charme a mais





    Simpatia é o que define o casal Fabrício e Lorenna



    |


  2. Relíquias que contam história!

    domingo, 22 de março de 2015

    A artesã Eliette Botelho vive rodeada de boas lembranças. No ateliê da artesã são guardados os primeiros bordados, feitos ainda no internato, no Rio de Janeiro, quando ela era menina. Todos os detalhes foram valorizados pela arquiteta Isis Dantas, responsável em distribuir as valiosas lembranças pelo canto preferido da Eliette e de sua assessora especialíssima, Clarissa Botelho.

    A história enobrece a vida, e Eliette sabe muito bem disso!







    |


  3. Divinos P, a pedida dos batizados

    segunda-feira, 16 de março de 2015

    Fuxicos pequenos para presentear em ocasiões nobres como aniversários, batizados, confraternizações. Fazemos na cor preferida do cliente, com o detalhe desejado. Quer encomendar o seu? Fale conosco por mensagem ou pelo telefone 065 9994-2838. Será uma alegria participar de um momento feliz de sua história.







    |



  4.       13 março 2015
          Da Redação - Isabela Mercuri
    Foto: Isabela Mercuri / Olhar Conceito
    De terapia a fonte de renda, fuxicos tomam diversas formas pelas mãos de artesã cuiabana

    São 40 anos de artesanato. O dom, que ficou por muito tempo guardado dentro de casa, tornou-se o protagonista do tempo de Eliette Botelho depois que ela ficou viúva em 2013 e começou a fazer fuxicos como terapia.

    Sua história com a arte começou em 1972, quando ela foi para o Rio de Janeiro estudar em um internato na escola Santa Marcelina. “Naquela época era comum mandar os filhos para estudar fora, e uma prima minha já morava lá, então meu pai me mandou também”, conta Eliette. Ela estudou técnicas de costura, e no início era especialista em diferentes tipos de bordados.

    Quando voltou para Cuiabá e se casou, a artesã foi morar em uma fazenda e a dedicação aos filhos e à casa fez com que o artesanato ficasse um pouco de lado. Em 1985, aprendeu técnicas de tapeçaria e fazia tapetes para sua casa e para familiares. Logo depois, foi o Ponto Cruz que a seduziu, até quando sua saúde permitiu: “Comecei a ficar com a vista cansada e para fazer ponto cruz tem que enxergar muito bem, ele cansa”, conta.

    A técnica do fuxico, então, foi a substituta no ano 2000. Em 2013 a produção aumentou, e em uma visita ao Armazém da Creuza, Eliette foi ‘descoberta’: “Eu levei duas mandalas pra Creuza ver, ela achou lindo e já ficou com elas para vender. Logo depois, me convidou para participar da feirinha”, conta a artesã.


    Eliette e Clarissa Botelho, sua filha (Foto: Isabela Mercuri)
     
    No dia 02 de maio de 2014, então, ela participou pela primeira vez da Feirinha da 24, e com a ajuda de sua filha Clarissa Botelho, teve um ótimo desempenho. Ao ver que o público gostou de seu produto, passou a se dedicar mais à produção e venda.

    Hoje em dia Eliette tem um blog, a Fan Page no facebook e o instagram. Faz produtos por encomenda e também expõe nas feiras. Além da 24, ela já expôs duas vezes no Tribunal de Contas. “Gosto muito de criar, tem uma infinidade de combinações que podem ser feitas com o fuxico”, comenta.

    Atualmente, ela faz mandalas, árvores de natal, Standards para festas de santo, escapulário de porta, móbiles do divino, enfeites para portas e carro e almofadas, tudo com tema religioso. “Por isso o nome Divino Fuxico”, explica. O valor dos produtos vai de R$30 a R$300.

    Para mais informações e encomendas, ligue (65) 9994-2838.

    |


  5. Olhar Conceito faz matéria no Ateliê Divino Fuxico

    sexta-feira, 13 de março de 2015

    O ateliê Divino Fuxico teve a honra de receber para uma entrevista a jornalista Isabela Mercuri, do Olhar Conceito. Foi uma tarde de papo agradável e de relembrar como tudo começou na vida das "fuxiqueiras" Eliette Botelho e Clarissa Botelho. 

    O resultado da matéria você confere, em breve, aqui no Blog. O Divino Fuxico agradece ao Olhar Direto pelo oportunidade de mostrar um pouco dessa trajetória "divina".















    |


  6. Divino Fuxico tem coleção nova

    segunda-feira, 9 de março de 2015


    Você lembra que há pouco mais de uma semana fomos a  São Paulo fazer compras de aviamentos e novos tecidos? Então, a coleção nova de fuxicos foi apresentada em primeira mão neste sábado, 7 de março, na Feirinha da 24, no Espaço Magnólia.

    Mas, se tiver interesse em fazer encomenda ou ver as peças novas, gentileza entrar em contato conosco pelos telefones 9994.2838, 9981.1686 e 3627.2836.

    E a vida vai prosseguindo, divinamente!







    Com fotos de Rildo Amorim
    |


  7. Compras em Sampa!

    terça-feira, 3 de março de 2015

    O caminho da compra do tecido até os produtos ficarem prontos é longo. No final de fevereiro, por exemplo, a artesã Eliette Botelho e a filhota Ciça foram para São Paulo atualizar a remessa de tecidos e demais complementos para produzirem as novidades divinas.

    Além de percorrer 2 mil km de avião, tem aeroporto, hotel, andação, compração...rs. E vai sacola e volta sacola. Quando retornam é outra luta pra organizar tudo...e.. produzir novos encantos. Elas adoram todos os passos, tenha certeza. E assim vão construindo uma história divina, com todas as letras, vírgulas e pontuações.





    A satisfação do cliente final, a meta principal

    |